Alimentos Dra Danielle Vila

Benefícios do azeite de oliva – melhore sua dieta!

Os benefícios do azeite de oliva para a nossa saúde são muitos. O azeite é uma gordura obtida do fruto da Oliveira (Olea europaea). O óleo é usado em cosméticos, remédios, na cozinha e muito mais.

Olá meninas e meninos, eu sou a Karen Coelho e hoje eu vou trazer aqui os principais benefícios do azeite de oliva para a nossa saúde. Fiquem ligadinhos e confira os detalhes até o final. Você não vai se arrepender.

O valor nutricional do azeite de oliva

Benefícios do azeite de oliva

Para compreendermos melhor os benefícios do azeite de oliva para o nosso organismo, precisamos saber quais são os valores nutricionais provenientes dele. A cada 100 gramas de azeite de oliva temos aproximadamente:

885 kcal

Carboidratos – 0 g

Gordura – 100 g.

– 14 g saturadas

– monossaturada 73 g

– poli-insaturada 11 g

– gordura omega-3 – gordura omega-6 3,5-21 g

Proteína – 0 g

Vitamina E – 14 mg (93% da dose diária recomendada para adultos)

Vitamina K – 62 μg (59% da ingestão diária recomendada para adultos).

Principais benefícios do azeite de oliva

Ao longo dos últimos anos, muitos estudos examinam os benefícios do azeite de oliva para a saúde. Coloquei aqui abaixo os principais encontrados.

Benefícios do azeite de oliva para o sistema cardiovascular

O azeite é a principal fonte de gordura dietética na dieta mediterrânea, que está associada a uma baixa taxa de mortalidade por doenças cardiovasculares em comparação com outras partes do mundo.

Um estudo descobriu que as pessoas que consomem regularmente azeite são muito menos propensas a desenvolver doenças cardiovasculares, incluindo hipertensão (pressão alta), acidente vascular cerebral e hiperlipidemia (níveis elevados de colesterol no sangue e triglicerídeos).

Este estudo também descobriu que a ingestão regular de azeite ajuda a reduzir a inflamação, disfunção endotelial (problemas com os revestimentos internos dos vasos sanguíneos), trombose e metabolismo de carboidratos.

Benefícios do azeite de oliva na culinária

As pessoas que comem regularmente alimentos feitos no azeite não aumentam o risco de doença cardíaca ou morte prematura, como acontece com o consumo regular de óleo comum, disseram pesquisadores da Universidade Autônoma de Madri em Espanha.

O azeite pode ajudar a prevenir acidente vascular cerebral

Um estudo descobriu que as pessoas mais velhas que usavam regularmente o azeite para cozinhar, na salada ou com pão tinham um risco 41% menor de AVC, em comparação com as suas contrapartes que nunca o consumiram.

Consumir azeite de oliva reduz os riscos de depressão

As pessoas cujas dietas são altas em gorduras trans – alimentos rápidos e alimentos produzidos em massa, como doces – podem ter um maior risco de depressão, em comparação com aqueles cujas dietas são ricas em gorduras mono- e poli-insaturadas.

De acordo com um estudo realizado na Universidade de Las Palmas de Gran Canaria na Espanha e publicado no PLoS ONE, o azeite de oliva parece ter um efeito protetor leve em relação ao risco de desenvolvimento da depressão. Claro que associado a uma dieta saudável e a prática regular de exercícios físicos.

O estudo contou com 12.000 voluntários ao longo de um período de 6 anos. Sua idade média no início do estudo foi de 37,5 anos. Todos eles completaram regularmente um questionário de 136 itens que tinha informações sobre seus hábitos alimentares, estilo de vida e saúde física e mental.

Os pesquisadores contaram o número de pessoas com depressão no início do estudo e, novamente, durante cada seguimento. Os casos de depressão deveriam ser aqueles clinicamente diagnosticados por um médico.

Esse estudo descobriu que, quando comparados os voluntários que consumiam gorduras trans regularmente com indivíduos cujas gorduras alimentares consistiam principalmente em azeite, os consumidores de gordura trans tinham um risco 48% maior de desenvolver depressão.

O azeite pode reduzir o risco de câncer de mama

Um estudo recente encontrou um mecanismo fundamental pelo qual o azeite de oliva virgem protege o corpo contra o câncer de mama, em contraste com outros óleos vegetais.

Os pesquisadores descodificaram uma cascata completa de sinais dentro das células dos tumores mamários que são ativados pelo azeite de oliva virgem. Eles concluíram que o azeite reduz a atividade de p21Ras, um oncogeneo, evita o dano do DNA, estimula a morte das células tumorais e desencadeia mudanças nas vias de sinalização proteica.

A equipe descobriu que, enquanto o óleo de milho – que é rico em ácidos graxos poli-insaturados n-6 – aumentava a agressividade dos tumores, o óleo de oliva virgem tinha o efeito oposto.

O azeite ajuda a manter níveis saudáveis ​​de colesterol

Um dos melhores benefícios do azeite de oliva para a nossa saúde é que ele não altera o nosso colesterol. E ainda ajuda a controla-lo em nosso organismo.

Benefícios do azeite de oliva extra virgem contra doença de Alzheimer

Oleocanthal é um tipo de composto fenólico natural encontrado em azeite extra virgem. Em experimentos laboratoriais, os pesquisadores descobriram que o oleocanthal ajuda a transferir as proteínas anormais da doença de Alzheimer para fora do cérebro.

Como informação de fundo, os pesquisadores explicaram que as taxas de doença de Alzheimer são mais baixas nos países mediterrâneos, onde o consumo de azeite é maior do que em qualquer outro lugar do mundo.

Segundo esse estudo o oleocanthal pode ajudar a reduzir o acúmulo de beta-amilóide, que se acredita ser o culpado da doença de Alzheimer (DA). Esta pesquisa foi publicada na revista Chemical Neuroscience.

Azeite de oliva ajuda contra a pancreatite

O azeite de oliva extra virgem é rico em ácido oleico e hidroxitirosol, que evitam o desenvolvimento da pancreatite aguda (inflamação repentina do pâncreas).

Benefícios do azeite de oliva para o fígado

O azeite de oliva extra virgem pode proteger o fígado do estresse oxidativo. O estresse oxidativo refere-se ao dano celular associado à reação química entre radicais livres e outras moléculas no corpo. Simplificando, o estresse oxidativo significa danos celulares.

Estudos concluíram que o azeite extra virgem e seus extratos protegem contra o dano oxidativo do tecido hepático.

O azeite pode ajudar a proteger da colite ulcerativa

A colite ulcerativa, uma doença bastante comum a longo prazo (crônica), é uma doença que causa inflamação do intestino grosso (cólon). É um tipo de doença inflamatória do intestino que é semelhante à doença de Crohn. Consumir mais azeite poderia ajudar a afastar a colite ulcerativa.

Um estudo realizado com mais de 25 mil pessoas que moravam em Norfolk, Inglaterra, com idades entre 40 e 65 anos. Os voluntários fizeram parte do estudo EPIC (European Prospective Investigation in Diet and Cancer), entre 1993 e 1997. Nenhum deles apresentou colite ulcerativa no início do estudo.

Em 2004, os pesquisadores compararam as dietas daqueles que desenvolveram colite ulcerativa com aqueles que não haviam apresentado. E descobriram que os participantes com a maior ingestão de ácido oleico – um componente do azeite – apresentaram um risco 90% menor de desenvolver colite ulcerativa em comparação com aqueles com a menor ingestão.

O ácido oleico parece ajudar a prevenir o desenvolvimento de colite ulcerativa ao bloquear substâncias químicas no intestino que agravam a inflamação encontrada nesta doença.

Sobre o autor | Website

Sou médica com pós-graduação em Nutrologia . Realiza atendimento clínico na área nutricional com ênfase em programas alimentares destinados à educação nutricional em todas as fases da vida e orientação nutricional para atletas, pessoas com doenças metabólicas e interessados em obter uma vida saudável.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.